terça-feira, 24 de junho de 2008

Introdução



Este blog tem como objetivo maior auxiliar a compra de cosméticos: o que comprar ou por onde começar. Muitas pessoas têm a prateleira do banheiro repleta de potes, potinhos e potecos (como diz o meu marido). Minha tia troca fácil uma boa roupa por “um pote de um creme novo que rejuvenesça 10 anos!” Claro que eu, como boa dermatologista, antes de mais nada sou mulher e não resisto aos apelos dos cremes!!!Os homens estão se rendendo também e hoje em dia meu marido disputa espaço comigo na pia do banheiro. O problema é que muitas vezes não usamos nem a metade, os produtos abertos se estragam, enquanto novos vão chegando. Não seria muito desperdício? Num mundo tão ecologicamente correto como o de hoje, não estaríamos cometendo um crime?
Será que é preciso gastar muito para ter uma pele bonita e saudável?Será que um creme pode realmente rejuvenescer e fazer milagre? Será que o que é bom injetável, seria bom num creme? O que a indústria dos cosméticos pode dizer para me convencer a comprar um produto? Existe mesmo “Better than Botox?!” Um creme pode substituir um “Botox”? Como saber se um cosmético é “sério”? Quais são as “regras“ da indústria cosmética? Quais as regulamentações dos cosméticos perante ANVISA no Brasil e FDA nos Estados Unidos? Como o consumidor pode se precaver de problemas como alergias e irritações pelo uso de cosméticos? Estas e outras questões serão abordadas neste blog, coordenado pela médica dermatologista Leandra Metsavaht, que contará com assessorias da área farmacêutica, cirurgia plástica, além de opiniões de outros colegas. Por isso, não vá ao balcão de uma loja de cosméticos sem primeiro ler as novidades deste blog. E lembre-se: um bom dermatologista é fundamental. Acesse www.sbd.org.br e encontre um dermatologista perto de você.

Em tempo : não tenho nenhum interesse comercial com nenhuma indústria farmacêutica. Não tenho ações de nenhuma indústria de cosméticos. Este Blog baseia-se na minha opinião pessoal pautada em pesquisas em sites como www.anvisa.org.br www.fda.org revista Pro Teste, livro da Paula Begoun : “Don’t go to the Cosmetics Counter Without me”, e referências bibliográficas no Bireme ( www.bireme.br ).

O que é um cosmético?

Os cosméticos são tão influentes na vida das pessoas que foram feitos estudos que mostram como o odor e a cor dos cosméticos alteram a freqüência cardíaca e condução de estímulos pela pele. Desde os tempos de Cleópatra sabemos o quanto os rituais de beleza são importantes.

Refrências bibliográficas:
Odor and color of cosmetic products: correlations between subjective judgement and autonomous nervous system response.
Int J Cosmet Sci;25(6):273-83, 2003 Dec.
Influence of cosmetics on emotional, autonomous, endocrinological, and immune reactions.
Int J Cosmet Sci;27(6):343-9, 2005 Dec.

A ANVISA considera que cosméticos são produtos que não possuem finalidade terapêutica, ou seja, não é um tratamento para uma doença.
No site do FDA (Food and Drug Administration- órgão do governo americano que regulamenta os medicamentos, alimentos e cosméticos nos Estados Unidos) há a definição pela lei americana do que são cosméticos: “são definidos pelo seu uso como artigos que pretendem ser esfregados, despejados, aspergidos ou pulverizados, introduzidos ou de outra forma aplicados no corpo humano... para limpeza, embelezamento, promovendo atratividade ou altere a aparência.” Dentre os produtos incluídos nesta definição estão hidratantes cutâneos, perfumes, batons, esmaltes, maquiagem, xampus, permanentes para ondular os cabelos, colorantes de cabelos, pasta-de-dentes e desodorantes, assim como qualquer material que pretenda ser usado como um componente de um produto cosmético.
Nos Estados Unidos há um destaque para os sabões e sabonetes, que podem ser ou medicamentos ou cosméticos, dependendo da sua função.

Conhecimento é a melhor arma contra ser enganado

Por que os cremes não podem fazer milagres?

Os cremes não conseguem acabar com alguns fatores que nos acompanham com o passar dos anos. Até hoje a substância mais potente usada topicamente capaz de renovar o colágeno é o ácido retinóico, substância que só pode ser prescrita por um médico dermatologista, porque pode causar alguns efeitos colaterais como descamação, vermelhidão e eczema de contato que, se bem controlados pelo especialista, podem ser revertidos e se tem resultados muito satisfatórios. As rugas de expressão só melhoram com a injeção de toxina botulínica. Aquele sulco que vai do canto do nariz ao canto da boca (sulco naso-geniano) melhora com uso de preenchimentos. Rugas mais profundas necessitam de uma agressão maior à superfície da pele com uso de Luz pulsada ou LASER fracionado. A flacidez intensa com deslocamento da gordura facial e sulco naso-geniano profundo melhoram muito com um “lifting“ facial realizado por um médico cirurgião plástico.


Fotoenvelhecimento

Fotoenvelhecimento é o envelhecimento devido aos danos que a luz ultravioleta proporciona às células da pele e ficam na memória celular para sempre. Não tem como apagar. O ultravioleta danifica o DNA das células que é reparado pela enzima DNA reparadora. Com o passar do tempo, esta enzima vai se esgotando e o DNA se mantém danificado. Esta dano é irreversível, pelo menos até agora... . As pessoas que moram no Rio de Janeiro me dizem; “Mas eu não vou à praia há 20 anos...” ou mesmo “Eu nunca fui à praia.” Não importa: a luz ultravioleta está na rua. Olhe bem para as suas nádegas. A pele aí parece envelhecida? Só se você usou biquíni muito pequeno... Outro local onde geralmente a pele é lisa, sem manchas e/ou rugas: as mamas. Por isso temos câncer de pele em cidades sem praia como São José do Rio Preto. O foto dano pode causar rugas, manchas brancas e escuras (sardas do sol ou mais cruelmente chamadas de manchas “senis “), pele amarelada, angiomas (aquelas “bolinhas “vermelhas parecendo pequenas cerejinhas em nosso corpo), pele sem elasticidade e seca.

Cronoenvelhicimento

É o envelhecimento do tempo. O tempo passa e as células vão perdendo sua capacidade de replicar. Não há mais renovação celular. As células vão ficando velhas, perdendo suas funções.

Perda da gordura facial

A bochecha vai caindo ou diminuindo, deixando um ar cansado e muitas vezes uma depressão. Em atletas, isso é bem mais visível, devido a diminuição da gordura corporal geral. Alguns preenchedores podem melhorar, mas não resolver este problema. No lifting facial, o cirurgião plástico consegue reposicionar esta gordura, melhorando o aspecto de rosto envelhecido.


Alterações hormonais e Menopausa

Algumas doenças endocrinológicas, como Síndrome dos ovários policísticos (SOP) pode causar acne, queda-de-cabelos e pêlos indesejáveis na face. Na menopausa, a pele costuma ficar mais seca, há mais perda de cabelos. No hipotireoidismo, a pele também resseca e os cabelos e unhas ficam frágeis e quebradiços. A pele, como outros órgãos, metaboliza e reage aos hormônios.

Genética

É fundamental, desde para se saber se você vai ter cabelos brancos cedo ou tarde, se você vai envelhecer bem ou mal como seus pais, desde artrose, com dor nos joelhos, até a ruga do canto dos olhos.

Perda de óssea

Perda óssea pode ser assunto tanto para um dentista, para um ortopedista, um ginecologista (que vai pedir sempre uma densitometria óssea), um endocrinologista, um cirurgião plástico e até mesmo um dermatologista. A perda óssea também atinge a face como um todo ( não só as mandíbulas), como o arco zigomátido .

Como a indústria consegue convencer o consumidor?
Termos mais usados como estratégia de “marketing”:

É muito curioso, mas surgem termos no mercado que atraem o consumidor de uma forma inexplicada. É a tal da “tendência”. Isso podemos ver na moda também. Não vejo isso nem como uma crítica. Acredito que haja também um inconsciente coletivo. Um bom exemplo são os nomes dos filhos: de repente aparecem vários Lucas e muitas mães dizem que não conheciam nenhum antes!Pois bem, na indústria dos cosméticos é a mesma coisa: um laboratório lança um creme hidratante para o corpo com uréia e outros 10 fazem a mesma coisa. Por quê? A uréia já é usada há 50 anos. Será que mudou alguma coisa? Sim. Muitos produtos voltam “repaginados” como uma velha camisa Lacoste que nunca sai de moda. A única coisa é que o conjunto mudou, a química melhorou. Só que tem coisas que são pura jogada de marketing. Xampu (sim, com “x”porque moramos no Brasil e nossa língua é o português) sem sal, por exemplo. Algum cabeleireiro famoso disse que xampu sem sal é bom e a indústria toda correu atrás disso e depois as pessoas começaram a correr logo atrás. Mas por quê? Ninguém sabe. A única coisa é que o xampu fica mais fluido, fino. Só isso. Mas não quer dizer que você não deva comprar um xampu assim, entendeu? Tendência de mercado, jogada de marketing: não importa. Você só deve se informar melhor sobre o que você está comprando, se tem fundamento, se faz sentido. Comprar um creme que diz que é melhor que Botox, por exemplo: você acredita nisso?Você vai aceitar pagar o preço da mensalidade da escola do seu filho por um pote de creme com caviar e o que isso vai te trazer?Eu pessoalmente prefiro comer o caviar e você vai saber por quê.

Produtos Naturais

Comprar um produto que tem ingredientes naturais não significa necessariamente que ele seja melhor ou mais seguro. É um apelo. Lanolina é natural e pode causar alergias. E nem tudo que tem dentro dele é natural. Às vezes o produto contém um componente natural e já se denomina “natural”. Leia os ingredientes do rótulo. Informe-se.


Cosméticos orgânicos

Um produto orgânico seria definido como “produzido por fazendeiros que enfatizam o uso de fontes renováveis e de conservação do solo e água para aumentar a qualidade do meio-ambiente para as gerações futuras. Carne, ovos, aves e laticínios vem de animais que não usam antibióticos ou hormônio de crescimento. Comida orgânica é produzida sem o uso convencional de pesticidas, fertilizantes feitos com ingredientes sintéticos ou sewage sludge, bioengenharia ou radiação ionizante.” Isto não quer dizer que só o fato de um produto conter Castanha do Pará com água será taxado de orgânico, porque , na verdade, este “selo “de orgânico ainda não se estende aos cosméticos.Por enquanto, somente aos alimentos.Mas como o consumidor já colocou na cabeça esta nova onda de orgânicos, fica subentendido que tudo o que é orgânico, faz bem à saúde.
www.agricultura.gov.br

Hipoalergênicos e para peles sensíveis

Esses termos sugerem ao consumidor que o produto causa menos reações alérgicas ou sensibilidade na pele. Como disse: menos, mas não quer dizer que está TODO mundo livre disso. Porém não há padronização de testes e/ ou restrições e regulamentações nos Estados Unidos para determinar se o produto se qualifica a isso. Uma empresa pode dizer que o produto é “hipoalergênico”, “bom para peles sensíveis”, “dermatologicamente testado”, “testado para peles sensíveis”, “testado contra alergias” ou “não irritante” sem ter resultados e/ou preencher critérios significativos para afirmar isso.

Livres de álcool

Este termo geralmente significa que o produto não contém álcool denaturado, etil-alcóol, metanol, álcool isopropílico, álcool benzílico.Este tipo de álcool é o que resseca e irrita a pele e tem o cheiro característico de álcool que tão bem conhecemos.Os outros nomes que levam álcool como o álcool esteárico, álcool de lanolina ou álcool cetearyl são na verdade tipos de ceras e são hidratantes, não irritantes.

Livres de fragrância, Sem cheiro, Sem perfume

Alguns ingredientes com fragrância, como óleos e extratos de plantas, podem estar contidos nos produtos ditos “sem fragrância “. Até mesmo para mascarar algumas matérias primas que não são muito “cheirosas” em seu estado bruto.

Não-comedogênicos, não fecham os poros, não causam acne

Não existe uma legislação capaz de controlar isto, portanto não há como provar que um produto é completamente não-comedogênico.

Segredos patenteados ou ingredientes patenteados

Não existe “segredo” patenteado. Produto patenteado quer dizer que legalmente ele tem capacidade para ser usado para uma determinada função, como clarear a pele, diminuir as rugas etc.

Óleos essenciais

Óleos essenciais são óleos como outro qualquer. Têm perfume e fragrância e muitas vezes podem causar alergias em pessoas suscetíveis. Um óleo que merece destaque é o óleo de malaleuca.

O que são cosmecêuticos?
Na verdade, o termo cosmecêutico ou dermocosmético não existe. O que existem são cosméticos ou remédios. ”Meio termo” não existe para os órgãos que regulamentam os medicamentos e cosméticos no Brasil e nos Estados Unidos.

A ANVISA considera que cosméticos são produtos que não possuem finalidade terapêutica.

Em ambos os sites, tanto da ANVISA (órgão que regulamenta os cosméticos no Brasil) quanto o FDA (que regulamenta nos Estados Unidos) , não consideram o termo Dermocosméticos, apenas o termo Cosméticos. Mas, na prática, os cosméticos ficam nas prateleiras alcançáveis aos consumidores (OTC- “over the counter”- termo em inglês que traduzindo significa fora das prateleiras) e os “dermocosméticos “ ficam atrás do balcão, são produtos “éticos”para serem prescritos por dermatologistas, porém não necessitam de receita médica.Seria uma forma de dar exclusividade ao receituário do dermatologista para cremes, hidratantes, enfim, produtos que o só o dermatologista tem a capacidade de conhecer mais a fundo.

3 comentários:

Márcia disse...

adorei os esclarecimentos

Leandra Metsavaht disse...

E eu adorei os seus comentários!Gostaria de poder escrever mais,desculpe a falta de tempo!

Márcia disse...

obrigada.
estou a disposição se precisar de alguma pesquisa de cosmeticos que existe aqui em Portugal..rs